top of page
  • Isabela Marques

Quais os desafios da aplicação universitária internacional para um estudante brasileiro?

Estudantes internacionais vivenciam diversos desafios, como barreiras linguísticas, diferenças culturais, discriminação, e dificuldades financeiras. Buscar uma educação fora do país de origem requer muita força, foco e determinação. De acordo com o site Boundless (2022) “In the United States, there are more than a million enrolled international students, making up nearly 6% of the total student body in the country and this number only tends to increase.” [Nos Estados Unidos, há mais de um milhão de estudantes internacionais inscritos nas universidades, compondo 6% do total do corpo discente nacional, número esse que tende a subir.] (p. 1). Entender os componentes obrigatórios para estudar fora do Brasil é crucial para analisar os desafios que um estudante internacional pode experienciar. O objetivo deste artigo é espalhar o conhecimento a respeito do processo de aplicação, motivando brasileiros a estudarem fora do país, e analisar as possíveis dificuldades a serem encontradas durante o percurso.

Primeiramente, o processo de aplicação estadunidense divergia-se do brasileiro por seus diferentes requisitos. Estes se dividem em: 1) Boletim escolar; 2) cartas de recomendação; 3) redação pessoal; 4) Comprovação de proficiência em inglês; e 5) vestibulares americanos (SAT e ACT). A primeira parte deste artigo vai cobrir todos estes requisitos, incluindo, ainda, a diferença entre os processos de ingressão universitária brasileira e americana. (...)

Uma vez que o processo de aplicação foi compreendido, o aplicante pode, finalmente, começar a estudar e se preparar. As universidades norte-americanas procuram estudantes únicos, criativos, empáticos com a comunidade, engajados e, mais importante, que saibam transparecer tudo isso através do processo de aplicação. Como Sawyer apontou em seu livro College Admission Essentials (2020): “Education and challenge form the core of what higher education is about, but colleges also deeply value students who are mature and self-reflective” [Escolaridade e desafios são a base da educação formal e técnica, mas universidades também valorizam profundamente os estudantes maduros e auto perspectivos]. (p.15).

A maneira mais comum para uma aplicação mostrar a essência do aplicante é através de atividades extracurriculares realizadas durante o Ensino Médio. Tais atividades podem ser simples, como vender produtos no eBay, ser uma pessoa intelectual voltada à tecnologia, realizar cursos onlines, escrever um blog, etc; ou mais acadêmicas, como ganhar olimpíadas de matemática, desenvolver um projeto científico, ou publicar um artigo. É necessário manter em mente que os estudantes não devem realizar atividades que não sintam prazer em fazer só para se sair bem na frente dos avaliadores. Pelo contrário, é bom que foquem em 1 a 4 atividades que realmente se sintam apaixonados por.




bottom of page