top of page
  • Foto do escritorCecília Helena Gurgel

Alan Turing: Um gênio, um revolucionário e um símbolo


“Eu acredito que, às vezes, são as pessoas que ninguém espera nada, que fazem as coisas que ninguém consegue imaginar.”


É verdade que, atualmente, a sociedade vive cercada de computadores e celulares, mas, há não muito tempo, essas invenções eram apenas uma pequena imaginação de alguns grandes sonhadores. Uma dessas mentes brilhantes é o famoso Alan Turing, conhecido como o pai da computação. O que poucos sabem, entretanto, é que ele não é apenas um grande gênio da tecnologia, como também um grande revolucionário em todos os sentidos da palavra.

Turing obteve seu destaque durante a Segunda Guerra Mundial, onde foi essencial para a vitória dos Aliados. Designado como chefe do grupo Hut 8, seu grande desafio era decodificar a máquina alemã Enigma, que era um problema enorme para os ingleses uma vez que não conseguiam entender seu funcionamento.

A Enigma era responsável por transmitir as mensagens do Eixo de forma que não fossem entendidas por ninguém do lado inimigo. Por isso, criava um código para ser possível realizar essas interações; o qual mudava suas ordens e regras a cada 24h. Turing, ao entender a dificuldade e a necessidade de decodificar esses códigos mais rapidamente, começou a elaborar uma máquina capaz de decifrar os padrões repetidamente em um tempo mais curto, chamada de “A Bomba”.



Turing não apenas foi essencial para o curso da história - A Bomba interceptou diversos recados nazistas e foi capaz de salvar a vida de milhões de pessoas - mas suas invenções deram início à computação como a conhecemos, pois ele foi uma das primeiras pessoas a pensar na possibilidade de uma máquina se tornar inteligente, além de criar um modelo teórico para computadores universais - A máquina de Turing. Ele, além disso, também é um símbolo de diversidade: ao dominar o campo de Tecnologia, Alan Turing vira o primeiro homem assumidamente homossexual em um campo majoritariamente heterossexual.



Na Sociedade da época, em que a homossexualidade era considerada um crime, Turing foi condenado e sujeito à castração química, mesmo com seus grandes feitos e sua genialidade, até, acima de tudo, sendo um herói de guerra. Sua vida ainda teve um triste e cedo fim: ele morreu por envenenamento com, apenas, 41 anos.

O matemático inglês é conhecido como uma das mentes mais brilhantes do século 20, contribuiu para algumas das invenções mais importantes da Terra e ainda deveria ser considerado um símbolo para todos aqueles que querem entrar no ramo da ciência, principalmente para aqueles que se sentem intimidados devido à pouca diversidade da Academia. Alan Turing nos mostrou que, não importa suas preferências, suas origens, ou suas dificuldades, se você quiser realmente fazer a diferença, você pode acabar fazendo coisas que ninguém conseguiu imaginar.


bottom of page